quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A HISTÓRIA DO SERVIÇO SOCIAL E SUA RELAÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO

INTRODUÇÃO:
O capitalismo e sua importância na criação do serviço social. O poder que a igreja católica e os burgueses exerciam sobre as classes menos favorecidas, as lutas dos trabalhadores para garantir seus direitos. Quais foram as condições do surgimento do serviço social na Europa e no Brasil, e seu processo de institucionalização.

O SURGIMENTO DO SERVIÇO SOCIAL

O capitalismo se desenvolveu na revolução industrial e passou por três fases: o capitalismo industrial liberal, que era a liberdade econômica da burguesia na produção e venda, o capitalismo industrial liberal monopolista que foi o fim do livre comércio e começou a organização industrial de controle da produção e distribuição das mercadorias, o objetivo era impor os preços dos produtos industriais altos para o beneficio próprio, seguido pela internacionalização do capitalismo onde ele começou a se espalhar pelo mundo.
Os burgueses controlavam o poder político e econômico que com isso mantinham as classes menos favorecidas submissos aos seus desmandos.
Com o intenso desenvolvimento do capitalismo, criou-se uma grande quantidade de trabalhadores assalariados, trabalhadores estes que abandonavam a lavoura para trabalhar na cidade. Chega um momento na agricultura que lucro não vinha mais da terra e sim da produção dos grandes proprietários que eram autorizados pelo parlamento inglês e pela casa real a cercar suas propriedades impedindo assim a entrada de camponeses, que se vendo expulsos acabavam por aceitar as exigências do dono do capital, a lei dava poder aos ricos e oprimia os trabalhadores, e foi por causa dessas expressões sofrida pelas classes menos favorecidas, que foi surgindo o serviço social, a ajuda aos pobres que só depois de muita luta conseguiram ter seus direitos de cidadão, de ser tratado como alguém, e não como um escravo que só precisava trabalhar e não tinha direito a nada.
A pressão feita pelos donos do poder, os capitalista trás a necessidade de ajuda aos trabalhadores e ai começa a surgir a necessidade de que alguém que apóie a classe menos favorecidas, ajudando realmente quem precisa. Os ricos faziam uma falsa caridade cheia de segundas intenções, e a igreja que só tentava se manter no poder, dando uma falsa ajuda que mantinha os pobres dependentes dos ricos, que não dava oportunidade de crescimento ou aprendizado a população pobre para não perder o domínio do poder político e econômico.
A igreja católica teve um papel muito importe no surgimento da profissão de serviço social, que começou como caridade de realiza aos menos necessitados. O cristianismo foi fundamental para serviço social, já que suas virtudes eram baseadas na fé, esperança e na caridade. São formas de Aquino que foi um monge que organizou a doutrina da igreja católica, também afirmou como um dos pilares da fé e da justiça social para com os mais humildes a caridade. Foi na igreja que a caridade aos pobres começou mesmo que de maneira errada, relacionada ao beneficio próprio e uma classe rica e dominadora, a caridade aos pobres e a fé, a base do serviço social.
A caridade no passado realizado pela igreja, por maças da sociedade, foi surgindo a necessidade com o passar dos anos da existência de uma assistência social dos menos favorecidos, trabalhadores, que os auxiliasse nas suas buscas por uma vida melhor.
A ideologia católica, de são tomas de Aquino tem como principio a dignidade humana, com essa ideologia dava-se fundamentação a reforma social, visando a questão social, que tem como objetivo reconstruir a sociedade, acabar com as imperfeições da ordem social.
E com o passar dos anos foi vendo como era importante ter uma assistência, conforme o crescimento populacional avanços do conhecimento. Foi criado um curso de visitação domiciliar, nessa época ainda era associada assistência social como forma de caráter.
E depois foram surgindo às escolas de profissionalização do serviço social. Mary Richmond da sociedade de organização da caridade em uma conferencia nacional de caridade em 1897 propôs que fosse criada uma escola para ensino da filantropia aplicada. Em 1899 e criada a primeira escola de filantropia aplicada, deve-se a Mary Richmond a organização e o esforço que teve para criá-la.
No principio o serviço social tem sua origem na ajuda aos mais necessitados, era feito em forma de caridade, de esmola, nas visitas domiciliar, nas doações de alimentos, roupas, calcados em fim materiais indispensáveis para diminuir o sofrimento dos necessitados. Entre judeus essa caridade era destinada principalmente para as viúvas, órfãos, idosos e enfermos.
Quando a igreja católica se organizou, a caridade passou a ser de responsabilidade dos diáconos que eram pessoas leigas, não tinham conhecimento algum. Essa caridade aos pobres era feita de maneira que mantivesse as pessoas de baixo do domínio da igreja e da burguesia, buscando sempre perpetuar sua servidão, manter a submissão, era feito de forma que as pessoas não tinham conhecimento e não conseguiam se expressar, sendo mantidas sob controle para não atrapalhar os crescimentos dos burgueses. E a igreja católica cada vez mais foi se aliando com os burgueses e se afastando dos pobres, e sua propostas e ações separavam cada vez mais os humildes dos poderosos.
Depois da revolução francesa o estado diz que é  o direito de todo cidadão ter assistência, e que todos deveriam prestar assistência. Para os burgueses era uma maravilha, pois continuam mantendo estratégias de domínio e submissão dos necessitados. A ajuda oferecida pelos burgueses era só pra manter a população pobre dependente de seus favores assim eles teriam o controle do poder, sem ninguém para atrapalhar seus planos, porque se ninguém questiona ou luta per seus direitos nada precisa mudar quem e rico continua rico e que e pobre continua pobre e dependendo cada vez mais dos ricos para poder viver.
O serviço social na Europa nasceu junto com o capitalismo, na revolução industrial que ocorreu em consequência das mudanças ocorridas na agricultura, indústria, transporte, bancos e comunicações, esse processo de transformação dividiu a sociedade inglesa em duas: burguesia que era dona dos meios de produção como maquinas, ferramentas e fábricas e o proletariado que era a classe assalariada. A revolução industrial foi o processo de mecanização do setor industrial, que aconteceu primeiro na Inglaterra e depois em países como França, Estados Unidos, Alemanha, Japão e outros. As condições adequadas para a exploração da revolução industrial foram: acumulo de capitais, a insatisfação dos trabalhadores como os baixos salários, a dominação do mercado externo e o crescimento do mercado interno, a grande produção agrícola e o cumulo de capitais e o desenvolvimento cientifico.
O serviço social surge para ajudar as classes mais pobres mas era utilizado pelos ricos com o objetivo de manter as classes pobres sobre seu controle mantendo a população pobre submissas as suas vontades, dependendo de suas caridades os pobres não poderiam se voltar contra os ricos, não saberiam quais seriam seus direitos e com isso não teriam idéias e nem objetivos para lutarem. Serviço social tinha como objetivo inserir as pessoas na sociedade, mostrar a eles seus direitos e deveres, a profissão passa a trabalhar a relação entre os homens, no processo que transforma o homem e a natureza, o serviço social seria o norteador dessas transformações onde o homem se modifica sozinho, os ricos não conseguiram manter as classes menos favorecidas sobre seu controle por seu controle por muito tempo.
No Brasil não foi diferente o serviço social surgiu em 1934, nesse período o capitalismo ingressa em uma fase monopolítica, havia a necessidade que se regulassem as propriedades privadas, era necessário impor limites à exploração do trabalhador em especial os que necessitavam de amparos. Com o surto industrial muita pessoas saíram das lavouras para ir trabalhar na cidade e com isso surgiu uma serie de conflitos, que foram causados pelas condições subumanas que essas pessoas passaram a enfrentar nas cidades, pois tinham moradia adequada enfrentavam grandes jornadas de trabalhos, não tinham acesso à saúde. A questão social passa a ser tratada como uma relação deficiente entre o capital e o trabalho, ai passa a se dar a razão do serviço social, que foi uma conquista dos trabalhadores, mas apesar da luta dos trabalhadores o serviço social surgiu como uma estratégia da igreja e dos burgueses para se manter no controle, já que a revolta dos trabalhadores ameaçaria os seus sagrados valores moral a ordem e o poder.
O estado precisava expandir e para acabar com as barreiras que os conflitos causavam cria sindicatos e instituições assistenciais. Mas foi de 1934 a 1937 que foi criado o ministério do trabalho e uma legislação trabalhista, somente ai foi conseguido alguns benefícios para classe trabalhadora como: férias, jornada de trabalho, repouso semanal remunerado. Algum tempo depois foi criado o IAPAS ( Instituto de Aposentadoria e Pensões) e em 1936 surge o departamento de assistência social no estado de São Paulo.
Como em outros lugares antes da institucionalização o serviço social era praticado pela classe dominante e pela igreja católica e como não podia deixar de existir só passou a ser uma profissão para realmente ajudar a quem precisava, quando interessou os grandes poderes eles viram que precisavam mudar de estratégia ou a situação seria insustentável. Somente em 1936 é formada a primeira escola de serviço social no Brasil, que foi a escola de serviço social de são Paulo.
Com o passar dos anos a demanda por assistentes sociais cresceu muito, pois aumentou a quantidade de pessoas necessitadas de assistência no país devido o grande contingente de pessoas que procuravam ter uma vida melhor nas grandes capitais devido a industrialização que necessitava de muita mão de obra para atender a demanda do mercado e junto com essa necessidade de assistente sociais aumentou os números de escolas de serviço social que até 1948 eram 14. Com a fundação das três principais escolas que são: Escola de Serviço Social de São Paulo e o Instituto social de São Paulo, em 1946 nascem a Associação Brasileira de Escolas de Serviço Social (ABESS), que teve um importante papel no desenvolvimento do serviço social. A trajetória do serviço social no Brasil não foi diferente de outros lugares do mundo as evoluções se repetiram como a de outros paises no que se diz respeito aos donos do poder que oprimiam os trabalhadores negando respeito e dignidade no trabalho e o controle do poder para manter os proletariados os mais dependentes possíveis das classes dominantes com o apoio da igreja católica.

Conclusão:
O capitalismo e o serviço social estão ligados, pois foi pela nessecidade de ajudar os necessitados que surgiu o serviço social. E em todos os lugares seja no Brasil ou na Europa a base do capitalismo é o mesmo da origem do asistente social, esta interligado aos mesmos fatores como a opressão, submissão da classe menos favorecidas ao mais rico. E foi com muita luta que a classe trabalhadora conseguiu que seus direitos fossem respeitados, e o serviço social foi estabelecido como uma profissão que perpetua até os dias de hoje.

13 comentários:

  1. otimo muito bom!!!

    vital neto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. estes textos dela são ótimos

      Excluir
  2. Além do conteúdo de serviço social aprendi um pouco sobre história, vlw parabéns ótimo texto explicação perfeita. históriador da unir

    ResponderExcluir
  3. GOSTEI BASTANTE ME AJUDOU E MUITO.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir